top of page

Acima do bem e do mal

Magia é a habilidade de manipular energia e energia é apenas o que é. Energia é uma força nem positiva e nem negativa, nem boa e nem má, absoluta e ainda sim, adaptável.

Magia Branca, Magia Negra, Magia Verde, Bruxa Verde, Bruxa Negra, Bruxa Cinza, são incontáveis os termos utilizados para tentar separar e distinguir o que não pode ser separado ou distinguido. Nada é totalmente bom ou mau e absoluto deste modo.

Ao tentar compreender este ponto, temos que desconstruir ideias culturalmente e socialmente estabelecidas e nos ensinadas por milênios, a ideia da eterna luta entre o bem e o mal, entre as recompensas e os castigos, entre o céu e o inferno. Estas ideias não existem na magia ou na bruxaria, arrisco a dizer que esta ideia não existe nem mesmo na natureza se não dentro de nossas mentes humanas.

Temos que estar acima desses rótulos. Ser uma pessoa boa por medo de castigos é realmente ser uma pessoa boa ou uma pessoa medrosa? Cometer erros também não te torna uma pessoa má, mas sim uma pessoa, e somos todos passiveis ao erro. Fazer o mal por motivos bons ou fazer o bem por motivos maus ou mesmo fazer o mal pensando estar fazendo o bem e o contrário disso. É bem complexo admitir a inexistência de uma ideia tão tradicionalmente ensinada desde que nascemos.

Na Bruxaria usamos nosso senso moral e ético. O que é o bem para mim? O que é o mal para mim? São ideias a serem pensadas e refletidas internamente para a construção de sua bússola moral. Essa bússola vai determinar estes conceitos para você somente, ela não se aplica às práticas de outras bruxas. O que é o bem ou o mal para aquela pessoa? Não sabemos, temos vivências, histórias e experiências diferentes e baseamos nossas bússolas por este caminho. Não cabe a nós julgar a prática de outra bruxa, mas sim vigiar e evoluir a nossa própria.

Dentro de determinadas tradições podemos encontrar algumas leis e dogmas que ajudam essa bússola moral construindo ideias do que seja permitido ou não para o iniciado. Isso ajuda um pouco com essa questão tão complicada, mas mesmo assim ainda temos alguns impasses a enfrentar as vezes.

Fazer um feitiço para ir bem em uma prova, irá te beneficiar em relação aos seus concorrentes, isso seria justo com eles? Seria algo ruim para aquele que pode ter perdido uma posição para você que utilizou de um feitiço para ter mais chances de conquistá-la?

Este feitiço não foi nem mau e nem bom, foi um feitiço para te auxiliar em algo que você necessitava, como todo feitiço deve ser. O meio ou o resultado não foram bons ou maus absolutos, foram apenas as energias trabalhando e como nós a entendemos aqui de fora e a classificamos com nossos conceitos, muda de acordo com o ponto de vista, ou seja, não é verdadeiramente fixo.

O mesmo para um feitiço de proteção, se você lança um feitiço de proteção contra algum inimigo, para você será ótimo, estará segura e protegida, já para quem tentar te ferir ou atacar de algum forma, este poderá encontrar problemas, será uma má situação para este. O mesmo feitiço, tendo duas polaridades possíveis e mutáveis.

Luz e Sombras são apenas maneiras de perceber o mundo ao nosso redor, a maneira como decidimos entender isso, é puramente pessoal.


É comum vermos o termo Magia Negra, Bruxa Negra, Mago Negro e outros exemplos como algo negativo, errado, condenável. O termo já existia e era relacionado às sombras, ao escuro, o que a sociedade antiga considerava pecaminosa, morada do diabo e essas coisas típicas do pensamento da idade média. O termo se popularizou com a época da escravidão, onde escravos praticavam sua magia, seus rituais e costumes sagrados de suas terras africanas, pela visão dos portugueses, tudo o que eles praticavam, deveria ser relacionado ao mal, já que não adoravam ao mesmo deus que eles, e então o termo Magia Negra passa a ser adotado para se referir a magia dos escravos e popularmente e pejorativamente entendida como do mal. O mesmo com Alta ou Baixa Magia, sendo relacionadas erroneamente como boa ou má.

Dentro do meio ocultista temos algumas classificações geralmente aceitáveis, que ajudam a entender um pouco sobre as formas de uso das energias de acordo com sua intensidade ou direcionamento.

Nesta classificação temos:

  • Magia Negra: ato feito a outra pessoa que não nós mesmos.

  • Magia Branca: ato feito a nós mesmos para objetivos pessoais.

  • Magia Cinza: ato em que pode afetar um grupo e a nós mesmos como um só.

  • Magia Púrpura: ato que envolve meios espirituais para alcançá-los.

  • Magia Índigo: ato que envolve alto grau de intenção e psique para realizar.

  • Magia Verde: ato que envolve diretamente a natureza e seus elementos.

  • Magia Amarela: ato que envolve a mente e oráculos ou cálculos.

  • Magia Laranja: ato que envolve energia vital, envolvendo ou não o sexo.

  • Magia Vermelha: ato que envolve a devoção e culto, envolvendo ou não sangue.

E muitas outros grupos e subgrupos para o assunto e com a prática, perceberá que nunca conseguirá trabalhar uma das formas de energia isoladamente, estarão sempre inter-relacionadas em algum grau.

  • Alta Magia: magia cerimonial, devocional onde os rituais são preestabelecidos e consagrados de maneira exata.

  • Baixa Magia: magia prática e toda a arte da feitiçaria.

Lembrando que a classificação de cores não visa mostrar diferentes energias e nem que a magia é dessa ou daquela cor visivelmente, foi apenas uma forma de classificar os diferentes usos, podemos enumerar, dar letras, ou elementos diversos a essa classificação e chamar de magia A ou magia B que daria no mesmo resultado. A classificação visa a facilidade da comunicação dos assuntos. E vale destacar que energia é energia, a forma como ela se comporta vai depender da forma que nós decidirmos trabalhar com ela. Tudo é energia.




650 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Beltane

1 Comment


Fantástico! Simples e esclarecedor ✨ como sempre 😊

Like
Post: Blog2_Post
  • Telegram
  • Facebook
  • Instagram
  • Blogger
bottom of page