top of page

Iniciação de 2º Grau: Wiccano

O Ritual de Iniciação Algardiano.


Sugiro a leitura desde texto primeiro: Iniciação de 1º Grau: Dedicação

O Ritual de Iniciação Algardiano


Saiba como é o Ritual de Iniciação dentro da nossa Tradição, o qual te torna um praticante Wiccano de fato. Este é o Ritual de 2º Grau, que ocorre após o longo período de Dedicação e antes do ritual opcional de Sacerdócio.


O Ritual de iniciação de 2º Grau é o titulo de Iniciado que te torna um Wiccano de fato, alguém que realmente pertence à Wicca e a pratica como sua religião.

O Ritual segue em cinco partes:

  1. Banimento e Fechamento do Círculo Mágicko;

  2. Ritual dos 9 Nós;

  3. Iniciação;

  4. Beijo Quíntuplo, e

  5. Abertura do Círculo Mágicko e Banimento.

O Ritual precisa de pelo menos cinco pessoas, sendo elas:

  1. O Neófito a ser iniciado;

  2. O Auto Sacerdote do Coven;

  3. A Auto Sacerdotisa do Coven;

  4. Assistente para o Auto Sacerdote; e

  5. Assistente para a Auto Sacerdotisa.

Os materiais usados são:

  1. O Altar completamente montado;

  2. Cinco velas brancas;

  3. Corda de 3 metros, pode ser branca ou roxa;

  4. Tecido branco para vendar os olhos;

  5. Túnica branca, leve e confortável para o iniciado; (ou todos vestidos de véu, nus. Isso é totalmente opcional do coven e dos participantes)

  6. Recipiente com sal consagrado, um com água purificada e um com óleo para unção;

  7. Incensos e um Incensário com brasa; e

  8. Tinta corporal na cor branca.

1. Banimento e Fechamento do Círculo Mágicko


É realizado um banimento no local e nos participantes, neste momento o óleo é ungido, o incenso, o sal e a água são purificados e consagrados.

O Círculo Mágicko é fechado com o iniciado ao centro de frente com o altar montado e preparado, neste, diferentemente da primeira iniciação, os deuses são convidados para serem apresentados formalmente ao novo adepto.

Uma vela é acesa para cada posição do pentagrama em torno do círculo e incensos são acesos junto a elas, com um incensário com brasa no altar.

Pode haver exceções especiais em alguns casos onde há mais de um Neófito para iniciar, quando somente um dos Auto Sacerdotes participa, quando se faz necessário mais assistentes, são feitas adequações aos rituais nestes casos. Os assistentes podem ser Neófitos em treinamento, mas é preferível que sejam Iniciados ou Sacerdotes.

O Sino é tocado e a próxima etapa se inicia.


2. Ritual dos 9 Nós


Aqui se inicia um renascimento, uma nova fase e etapa da vida deste neófito, a sua iniciação nas artes wiccanas deve começar com um novo nome, um novo indivíduo e um novo nascimento. O Sacerdote pergunta ao neófito qual seu nome e este responde o novo nome o qual será adotado dentro da arte, um Nome Mágicko. Este nome o acompanhará por todos os ritos e celebrações que fizer dentro da Wicca de agora em diante.

O Sacerdote, em pé e afrente do neófito ajoelhado e vendado, pega a corda pelas pontas e faz os seguintes nós, aspergindo água, sal e óleo, nesta ordem em cada nó, repetindo a frase em cada aspersão:

  • Envolve o pescoço do neófito e dá o primeiro nó, no centro da corda deixando comprimentos para os dois lados. A Corda deve ser firme, mas que esteja seguro para o neófito, não deve ser apertada demais. Formando um círculo no pescoço do neófito simbolizando a união de todas as coisas e o primeiro nó simbolizando a energia criativa, a criação e a ação. "-Que sua mente seja pura!"

  • Passa as cordas por baixo dos braços do neófito e amarra suas costas como em um abraço, com um segundo nó. O segundo nó simbolizando a passividade, a dualidade, a receptividade e a união do agora humano e divino. "-Que seu caminho seja protegido!"

  • Com os braços para trás, um terceiro nó é feito na altura dos cotovelos, prendendo os braços juntos. O terceiro nó simbolizando a criatividade, o trabalho e o resultado. "-Que seus feitos sejam prósperos!"

  • Mais abaixo, nos pulsos é feito um quarto nó. O quarto nó simbolizando a organização, as bases, o fundamento e o respeito. "-Que seus feitos sejam dignos!"

  • Voltando a corda para a frente do corpo, um quinto nó é feito pouco abaixo do umbigo. O quinto nó simbolizando a viagem do nascimento, a corda que une o divino e o humano, é também o símbolo da mudança, da liberdade e do conhecimento. "-Que seus desejos sejam verdadeiros!" (em algumas tradições é dividido essa parte em masculino e feminino, mas não optamos por esta forma, tendo como base que estamos fazendo uma conexão de energia com energia, matéria com matéria sem distinção e de humanidade com divindade).

  • Novamente jogando a corda para atrás do corpo, na base da coluna é feito um sexto nó. O sexto nó simbolizando o compromisso, a certeza, as escolhas e também o amor e a conexão com o coven e o divino. "-Que sua dedicação seja ao amor!"

  • Voltado a corda para a frente do neófito, um sétimo nó é feito em sua virilha. O sétimo nó simbolizando a espiritualidade, a força e a conquista. "-Que seus deuses nunca se percam!" (também em algumas tradições há uma distinção de gênero neste nó, não optamos por esta forma).

  • Voltando para trás, mais abaixo na altura dos joelhos é feito um oitavo nó. O oitavo nó simbolizando o equilíbrio, a justiça e as sábias escolhas, também simbolizando a sustentação e a regeneração da fé, da energia e do corpo. "-Que seu equilíbrio seja justo!"

  • Á frente dos pés, é dado uma volta com as cordas e um nono e último nó não é dado. O último nó simboliza a fraternidade, o coven, a família, o conhecimento sagrado e divino, simboliza o final de um ciclo e este nó será, se assim então quiser o neófito, quando ele alcançar o terceiro grau de iniciação e se tornar um sacerdote. "-Que seu futuro seja abençoado!"


3. Iniciação


Neste momento a iniciação já esta de fato concluída, agora o neófito pronuncia seu novo nome em apresentação aos deuses presentes.

"-Cego, passivo e inocente caminhou pela da escuridão dos mistérios do interior do útero da Deusa para agora renascer na arte. (Nome do neófito) perante seus sacerdotes, seus deuses, seu coven, sua arte, sua divindade você é iniciado (nome do coven) e abençoado com a proteção e amor de todos aqui." O restante do sal é jogado em seus pés e o restante da água é jogado em sua cabeça.

"-Faça o que quiser, sem a ninguém prejudicar!" e repetido novamente pelo iniciado.

Os nós são desfeitos dos pés ao pescoço e a venda é retirada. Ambos são entregues ao iniciado, que então se dirige ao altar e joga as vendas com um pouco de incenso na brasa, para queimar, simbolizando o seu renascimento para a luz, e mostrando que após sua partida, seus olhos não mais encontrarão escuridão. A corda é guardada consigo em segredo, até que decida por seguir para a próxima iniciação.


4. Beijo Quíntuplo



Conhecido também como Saudação Wiccana ou Blessed Be (Abençoado Seja em tradução literal), o Beijo Quíntuplo é uma saudação entre iniciados, oferecido de um wiccano para um wiccano, de um sacerdote para um wiccano ou de sacerdote para sacerdote. Nunca de um wiccano para sacerdote ou entre não iniciados. E Tradicionalmente feito entre gêneros opostos, não optamos por essa forma, podendo ser entre iniciados de mesmo gênero.

Aprofundaremos mais neste assunto em um texto próprio para isso.

O Beijo Quíntuplo consiste em abençoar a pessoa, dar-lhe suas bençãos, boa sorte e proteção. O ritual consiste em beijar partes do corpo enquanto deseja as bençãos, seguindo com: Beijar os pés, os joelhos, o umbigo, os seios e por fim os lábios ou a testa, em ordem para formar um pentagrama. Finalizando com a expressão Abençoado Seja!, mais comumente conhecida como Blessed Be. Algumas variações do rito também podem incluir as mãos e não os seios.



5. Abertura do Círculo Mágicko e Banimento.


Ao fim das bençãos, o círculo deve ser desfeito, aberto pelo agora iniciado seguido de um banimento para finalizar todo o rito, por motivos que já explicamos.



Alguns detalhes foram ocultados e preservados.

372 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Samhain

Mabon

Commentaires


Post: Blog2_Post
  • Telegram
  • Facebook
  • Instagram
  • Blogger
bottom of page