top of page

Os Instrumentos Wiccanos

Já começamos enfatizando! Instrumentos são ferramentas de auxílio, meios físicos para facilitar trabalhos mentais e energéticos. Para FACILITAR e não para possibilitar os trabalhos! Uma Bruxa deve primeiro dominar seu corpo, sua mente e aprender a trabalhar com a magia usando apenas isso, o que já é mais do que suficiente.

Os Instrumentos Mágickos que as bruxas usam, são em sumo, extensões de si mesma em três diferentes níveis. Uma varinha, por exemplo, é a extensão física de seu braço, a extensão mental de sua consciência e a extensão energética do seu poder. No caso da Wicca, os instrumentos por serem extensões da bruxa, do iniciado, é também a extensão do Deus e da Deusa, a varinha que estende a consciência, o poder e o corpo físico da bruxa também estende o elemento Fogo da ação e transmutação do Deus, assim como o elemento Terra da força e criação da Deusa. Mais do que formas representativas, são também as três formas pela qual a magia flui, a magia flui pelo desejo e necessidade, flui pela mente e a manipulação que ela exerce e a magia flui pela matéria física e espaço, a unificação desses três níveis constroem a realidade onde podemos trabalhar com a magia, onde vivemos e onde trabalhamos magickamente.


É importante destacar também que não serem realmente necessários para a execução dos trabalhos e rituais, não diminui em nada a importância, o valor e a história dos instrumentos e logo abaixo vai perceber que são muito comuns, são instrumentos de trabalho do dia a dia, utensílios de casa, sobretudo da cozinha. Vamos tentar resgatar um pouco da história e possível origem, assim como a evolução aos dias atuais e sua integração com a Bruxaria Moderna, a Wicca.


Conheça mais sobre o Altar clicando aqui

PENTÁCULO

Representa a vida, o mistério, o equilíbrio e os diferentes níveis de existência. O pentáculo serve como o símbolo universal da Arte, porém vale lembrar que é um símbolo, assim como o pentagrama, muito difundido e utilizado em diversas religiões, sistemas e tradições alheias à wicca ou bruxaria e com significados totalmente diferentes. Wiccanos e Bruxas tendem a usar um pentáculo como um pingente em um colar, um símbolo em um anel e até como tatuagem. Mas o que é esse símbolo e qual é a mensagem que ele realmente transmite dentro da nossa tradição?


Uma estrela de cinco pontas, como o pentagrama, e envolta em um círculo representa cada elemento com suas pontas. Muitas pessoas já ouviram falar dos elementos Ar, Fogo, Água e Terra. Então, qual é o “quinto elemento”? É Espírito, a parte energética de nossos corpos, o Imaterial, a Consciência, o Cosmos, o Todo e muito mais...


O ar está associado ao pensamento. Os pensamentos entram e saem de nossas mentes assim como uma leve brisa flui através de nossos cabelos. Os pensamentos são o início das ações, assim como o amanhecer representa o início de coisas novas e os Wiccanos associam o Ar ao amanhecer. Além disso, o ar se relaciona com a direção leste. Leste é onde o sol nasce e começa o dia.


O fogo está associado à ação. Além de nos manter aquecidos, é a faísca que nos põe em movimento. Motiva nossa vontade produzindo resultados no plano físico. O fogo também está associado à direção sul. Nossos ancestrais (da Europa) entenderam que indo para o Sul, as terras eram mais quentes.


A água está associada à emoção que flui através de nós. Todo pensamento cria sentimentos. Lembramos da comida da vovó e ficamos com aquela sensação de calor por dentro, ou lembramos daquela briga com nosso parceiro que nos deixou tão bravos! A água está associada ao Ocidente, que está associado à travessia do Rio Estige (mitologia grega) e à ida à terra dos mortos. Durante os rituais deixamos um recipiente com água purificada nele.


A Terra está associada à estabilidade e à sua função de base para outras coisas. A Terra nos mantém estáveis ​​e muitas vezes representa as muitas coisas mundanas que precisamos na vida. A Terra representa a fisicalidade de nossos corpos e o solo em que estamos. A direção da Terra é Norte e é representada por montanhas, rochas, cristais e afins.


O espírito é o elemento único que une o resto. É o nosso espírito que os Deuses nos deram, que nos torna vivos. Você não pode ter vida sem os outros quatro. Precisamos de ar para respirar, fogo para nos aquecer e água para beber. Precisamos da fisicalidade de nossos corpos para interagir com nosso entorno. Mas não podemos ser verdadeiramente nós sem espírito. O que é uma alma? É um pedaço dos Deuses que eles colocam dentro de tudo o que é vivo. Esta alma anima nosso Ar, Fogo, Água e Terra em um ser vivo.

O espírito é um elemento crucial que é muitas vezes esquecido. Porque o Espírito é o milagre da própria vida.


O círculo que envolve tudo representa essa totalidade, essa perfeição e o que costura todos os elementos e permite que o quinto elemento anime o conjunto em um ser vivo, racional, emocional, espiritual e etc. O círculo representa o divino, o completo, o eterno sem começo, meio ou fim, o que flui por todos os elementos e os relaciona.


O pentáculo é usado geralmente no centro do altar como ponto de maior concentração de energias, o ponto de conexão, o catalizador, o potencializador, o energizador. É o ponto onde colocamos ofertas, onde fazemos os pedidos, onde energizamos nossos instrumentos, nossa água, nossos símbolos. Tradicionalmente é feito de Ouro ou Cobre, porém isso não é regra e é sabido que pode ser feito de literalmente qualquer material.


ATHAME

Pronúncia: a-tã-me

Uma das ferramentas mais usadas na Wicca, o athame é uma adaga ritual que usamos para canalizar e direcionar energia. É um instrumento com potência masculina relacionada aos elementos Fogo e Ar. O Athame é uma adaga com lâmina dupla e cabo preto, o tamanho ou o material não é especificado, podendo ser também utilizado uma espada em seu lugar

Sua lâmina dupla é usada para cortar energias em todas as direções e realizar banimentos ou mesmo outros trabalhos com energia, convertendo-as em novas intenções e redirecionando à outras funções , simboliza força e expressa a vontade do iniciado. A lâmina pode ser usada para talhar e marcar objetos ritualísticos como símbolos em velas, madeira ou no chão, abrir um círculo mágicko e muitas outras aplicações práticas.

Cada face da lâmina é adornada com símbolos mágickos de evocação e banimento.

O athame é usado para canalizar a energia que você eleva para onde você precisa que ela vá. Isso pode estar enviando energia para abençoar algo ou, em alguns casos, até mesmo lançando um círculo.


O athame geralmente é segurado em sua mão dominante, porque esta é geralmente a mão que a maioria das pessoas usa para “empurrar” energia. Então, empurrar a energia para fora e direcioná-la com o athame é o próximo passo natural.

Vale destacar também que o athame não é usado para cortes físicos, alguns covens utilizam o athame com o fio cego, mas isso é opcional. A ponta do athame pode ser utilizada para fazer marcas, mas não para cortes.


BOLINE

Fazendo par com o Athame, o Boline é também uma faca, mas curva e muito afiada, utilizada na colheita de ervas, corte de cordas, tecidos, alimentos, tudo o que for possível e preciso cortar fisicamente. Tradicionalmente possui o cabo branco e um tamanho reduzido em comparação ao Athame, mas isso não é regra.


VARINHA

As varinhas vêm em praticamente qualquer forma, de estreita a curva, como um galho de árvore retorcido. As pessoas fazem varinhas de quase tudo, desde um cristal, um galho, um bambu, uma canela, um osso ou mesmo de metais. Podemos empunhar uma varinha formada com uma combinação desses materiais também, como madeira com fios de metais e ponta de cristal por exemplo.

Como uma ferramenta com potência masculina e associada ao Fogo, a varinha funciona como o athame. Mas onde o athame é uma ferramenta mais incisiva, a varinha é mais suave e tênue em sua abordagem. Você usa a varinha, como o athame, para direcionar a energia de você para uma coisa ou lugar. Você pode direcionar energia para uma vela, uma pessoa e, pode lançar um círculo com a varinha, enfim, pode direcionar sua intenção e energia para qualquer que seja o objetivo. Eu sinto que o athame é uma ferramenta muito melhor para lançar círculos; dá-lhe muito mais proteção do que a varinha, isso pela lâmina fazer o corte energético de dentro do círculo com o que está ficando de fora dela, mas isso não é uma regra e você pode experimentar fazer essa associação.


Tradicionalmente a varinha deve ter o mesmo tamanho do antebraço de seu dono, indo pela parte interna do antebraço até a ponta do dedo médio. Devendo evitar pontas grossas, irregulares ou bifurcadas, evitando de usar materiais isolantes como plástico, borracha, massa epóxi e coisas do tipo.


TAÇA E CÁLICE

A taça ou mesmo um cálice ou até um copo, é uma ferramenta importante e pode ser feito de praticamente qualquer coisa; vidro, metal, cristal ou até madeira. Simboliza a vida, fertilidade, o fluxo feminino, sobretudo quando usamos vinho ou bebidas que remetem ao sangue.


Normalmente colocamos água, sucos naturais ou vinho e até hidromel na taça dependendo do ritual, da celebração e também do que você gosta de beber. Algumas pessoas são alérgicas ao álcool ou simplesmente optam por não beber e tudo bem. O mesmo com algum suco, eu mesmo não gosto de suco de maça, então vou substituir a maça de meus ritos, é melhor do que usar e ofertar algo que eu não gosto e que durante a celebração eu irei achar ruim e me sentir mal, não faz sentido forçar o consumo de algo.


Depois de derramarmos a bebida no cálice, usamos uma cerimônia para abençoá-la. Depois disso, despejamos uma porção de vinho em uma tigela pequena como uma libação para os deuses, pode ser feito também em taças exclusivas para eles também. Exclamamos então: “Aos Deuses!”. Depois disso, bebemos.


Se sua cerimônia incluir mais de uma pessoa (se você não estiver praticando como solitário), a taça é passada de uma pessoa para outra enquanto diz: “Que você nunca tenha sede”. A pessoa que recebe o cálice responde: “Que assim seja”. E claro gente, em tempos de Corona Vírus, que não vai passar tão cedo, cada um ter sua taça é o ideal e não atrapalha em nada a celebração, podendo até ter um grade brinde.


Caldeirão

É um instrumento com potência feminina relacionado ao elemento Terra. É, em poucas palavras, o útero da Deusa, da terra, a origem da vida. Seu simbolismo com a cor preta do ferro e o interior arredondado onde alimento é transformado, onde fogo arde para criar e transformar a matéria, prepara o alimento remete ao escuro e ao calor do útero, a fonte da vida, nossa primeira morada. Tradicionalmente feito de ferro e possui três pés, que além de garantir estabilidade e segurança no uso, trás lembrança ás três faces da Deusa, a jovem virgem, a mulher fértil e a anciã sábia. O Tamanho dele pode variar de acordo com sua prática, se você pratica de forma solitária, um caldeirão de um ou dois litros já será bem grande e suficiente, se pratica em grupo, caldeirões maiores podem ser mais adequados.

Seu uso é o de uma panela, são preparados os alimentos ritualísticos, as poções, algumas bebidas e misturas, além de podermos queimar feitiços, incensos, materiais de rituais e qualquer outra coisa, como as bonecas de milho, cordas de pedidos, cruz de Brigid que realizamos em celebrações passadas. É o instrumento de criação, transformação, abundância, cheia e fertilidade. Também é associado ao fogo. Aconselho que tenha pelo menos dois caldeirões, um para alimentos e bebidas e o outro para as queimas e receitas não comestíveis, podendo até cada um ser consagrado a um elemento, um à terre e outro ao fogo.


INCENSO E AR

O incenso representa o ar quando queimado. Nós queimamos incenso em um incensário, no caso nada místico, apenas pra evitar sujeiras e possíveis incêndios em casa. O incensário é apenas o recipiente, o importante é o incenso, em especial sua fumaça.

Existem muitos tipos de incensos, mas três formas principais incluem resina, ramos de ervas e incenso. Você pode escolher entre vários queimadores, usados ​​para queimar cada tipo diferente de incenso. O incenso tem estas formas:


Resina – São extraídos da seiva de plantas aromáticas e resinosas. O incenso geralmente vem como uma forma de cascalho de resina, mas nem sempre. Mirra e Olíbano são incensos de resina bem conhecidos e fáceis de encontrar. Você precisa de carvão para queimar incenso de resina, aqueles discos de carvão para Narguilé são perfeitos para queima desse tipo de incenso e outros também. Esse carvão geralmente vem em uma embalagem em forma de tubo redondo e cada pedaço de carvão parece uma almofada redonda com um recuo para o incenso bruto. A resina deve ser queimada em uma tigela à prova de fogo ou em um caldeirão. Certifique-se de encher o recipiente com areia ou pequenas pedras. Em seguida, coloque o carvão em cima da areia e acenda o carvão. Agora espere até que todo o pedaço de carvão arda. Em seguida, coloque cuidadosamente o incenso sobre ele. Uma pedrinha de resina faz muita fumaça geralmente, então faça o teste antes pra ver a quantidade ideal que você precisa de fumaça.


Ramos de Ervas - Basicamente são plantas, raízes e madeiras aromáticas que podem ser acesas para fazer a fumaça. Pode-se usar o carvão também e colocar a madeira, sementes, erva em pó para queimar da mesma forma que se faz com a resina.

Para secar ervas temos que tomar cuidado para fazer da maneira correta e evitar fungos no incenso. 1. Escolha a erva adequada. 2. Colha antes do amanhecer, isso preserva o óleo essencial. 3. Amarre os ramos somente pela base. 4. Deixe pendurado em local seco, bem ventilado e protegido do sol para secar. 5. Só depois de secas, devemos amarrar os ramos em forma de charuto. 6. Dê vários nós com linha pelo incenso para evitar dele abrir durante a queima. Dica: Nós apertados fazem incenso duradouro e pouca fumaça. Nós folgados fazem incenso menos duradouros e com mais fumaça. Para acender basta colocar fogo na ponta e assoprar um pouco até criar brasa.

Incenso - Temos também aqueles incensos de carvão em forma de varetas que são bem conhecidos. NÃO o usem. São feitos de carvão e essência sintética. Faça uma pesquisa antes da compra e prefira marcas que usem ÓLEO ESSENCIAL (não essências) em seus incensos, isso garante que estarão usando material colhido de ervas naturais, com propriedades. Geralmente são um pouco mais caros em comparação aos sintéticos que custam de 1 a 2 reais, mas nada de valor alto.


Agora de volta ao ar, que é um elemento masculino. Combinamos nosso incenso com o outro elemento masculino, o fogo, para criar a fumaça que representa o Ar. Essa fumaça de incenso é então usada para carregar e abençoar coisas e pessoas, ou mesmo para limpar e banir. O Ar, os ventos podem trazer, podem levar embora, podem renovar, podem fazer todo esse fluxo. A matéria prima determina também seu uso e suas propriedades, então pesquisar sobre as ervas é bem interessante para o uso de incensos da melhor maneira.

Você também pode fazer uso de ramos de ervas para abanar e espalhar a fumaça, fazer um leque de penas de aves para movimentar o vento e 'varrer' o ar.


SAL E TERRA

Usamos o sal para representar a Terra, e é uma potência feminina.

Sal (Cloreto de Sódio) é um mineral, ou seja, um cristal, e como todo cristal ele também deve ser purificado, "energizado" e programado, a palavra entre aspas, porque a energização do sal é um pouco diferente para o uso ritualístico.

A purificação do sal segue basicamente um ritual de banimento completo, precisamos deixar esse sal totalmente limpo para exercer sua função, um completo exorcismo. A energização segue apenas para fazer uma consagração e uma ativação de sua programação.

Misturado com a Água purificada é um excelente instrumento de limpeza.


O sal antigamente já teve valor equivalente ao do ouro e de terras, era um artigo de luxo. Então é um mito que bruxas jogavam sal no chão, nos cristais, ao redor da casa, enfim qualquer forma de "desperdício" desse ouro branco. Nossos ancestrais aplicavam sal para curar sua carne e funcionou como um dos primeiros conservantes usados, como é até hoje. As primeiras pessoas não o entendiam na época, mas o sal mata muitas bactérias com as quais entramos em contato e, portanto, impedia que a carne estragasse.


Nos rituais é usado para abençoar, proteger, limpar, purificar e também para selar feitiços, locais e pessoas.

E você pode simplesmente trocar o sal por terra mesmo, areia, cascalho de cristais e coisas relacionadas, claro, desde que a forma se adeque ao uso, mas a representação, o elemento e todo o simbolismo e carga empregada é o mesmo.


VELAS E FOGO

O fogo é a centelha da vida! Como elemento masculino, o fogo é incluído como chama da vela acesa em nosso altar.

O elemento fogo, dependendo de sua aplicação pode criar, pode transmutar, transformar ou destruir. O fogo aceso em nossa cozinha por exemplo, ele transforma grãos duros e indigestos em alimento macio, em nutrição para o corpo em forma de vitaminas e nutrientes. Já o fogo em uma forja, transforma ferro mineral da terra em instrumentos, em máquinas, em edifícios e etc. O fogo em uma mata, destrói e consome tudo o que toca. O fogo em um motor transmuta energias de diversas formas. Então o fogo é versátil, pode ser controlado para diversos fins dependendo de nossos objetivos, sabendo aplicar e dosar seu calor e sua atividade.

Temos uma vela principal, que não fica exatamente em nosso altar, é usada somente nos rituais, vamos aprofundar um pouco o assunto sobre ela em outro momento.

Também é comum, termos duas velas, uma para A Deusa e outra para O Deus acesas quando precisamos de um canal direto com eles, seja para puxar a lua ou o sol, para agradecer, para celebrar ou qualquer outra atividade com a presença Deles.


LIVRO DAS SOMBRAS

Se todos os instrumentos são auxiliares, esse eu costumo dizer que é um item obrigatório.

É simplesmente seu caderno de estudos, onde você anota aprendizados, conceitos, definições, fundamentos sobre magia, feitiçaria e sobre a tradição, além de experiências pessoais, práticas realizadas, pensamentos e tudo mais o que possa auxiliar os estudos e aprendizado. É o seu caderno da escola. O Interessante é que se você não pode ter um livro físico por algum motivo, você pode simplesmente montar um arquivo digital, o importante é o conteúdo e o aprendizado.

Há também outros livros importantes, como o Diário de Sonhos onde você anota todas o seus sonhos e faz estudos arquétipos dos sinais e significados para autoconhecimento; o Livro Espelho, que é utilizado para um autoconhecimento mais profundo, utilizado em meditações, anotações de experiências astrais, evoluções e desenvolvimentos em técnicas gerais; Grimórios onde se encontram receitas mais elaboradas, rituais, estruturas ritualísticas e guias. Além de outros, dependendo da tradição.


SINO

O Sino não é tão usual, quase ignorado. Mas é um instrumento interessante para mudanças de frequências rápidas. Ao iniciar um ritual, qualquer que seja, tocar um sino três vezes e deixar que o som ecoe pelo ambiente, a vibração do som muda a energia ambiente. Ao final dos rituais também podemos fazer o mesmo para dissipar as energias junto ao banimento.


ESPELHO

Utilizado como oráculo, para exercícios de meditação, visualização e manipulação de energias, para lançar encantamentos, escrever sigilos e etc.


OUTROS INSTRUMENTOS

Além disso temos Cristais, Oráculos, Ervas, Óleos, Símbolos, Colares, Anéis, Vestes, Chapéu, todos os tipos de insumos e ingredientes e etc.


CONSAGRAÇÃO

Vale lembrar que todo instrumento vai ser apenas um objeto comum sem uma devida consagração, que o torna sagrado para as práticas mágickas. Você pode conferir como fazer a consagração clicando aqui.

DESCARTE

Os instrumentos vão e vem, conforme evoluímos na arte, nossos objetos tendem a acompanhar esse fluxo... seja um caldeirão maior, uma varinha nova ou com um detalhe diferente, uma nova adaga e etc... Nisso, bate a dúvida do quê fazer com o instrumento antigo. Bom, o primeiro passo é uma limpeza e um banimento para cortar o vínculo com você e desfazer a consagração, tornando-o apenas um objeto comum novamente.

Quer dar de presente para um amigo que esteja estudando ou praticando a arte também? Vá fundo, aposto que quem o receber, vai amar e cuidar muito bem.

Algum objeto quebrou? Simplesmente jogue-o no lixo ou para reciclagem, nada de largar na natureza e poluir ou colocar animais em perigo.

Alguém roubou ou sumiu? Faça o banimento normalmente como faria com o objeto em mãos.

Quer simplesmente trocar um objeto por outro? Faça! Você pode usar o objeto antigo em sua casa normalmente.

276 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Samhain

Comments


Post: Blog2_Post
  • Telegram
  • Facebook
  • Instagram
  • Blogger
bottom of page